Rua Bento Gonçalves, 247 - Alegrete/RS - fone: (55) 3421 4303
ERS 566 pede socorro

ERS 566 pede socorro

ERS 566 pede socorro
5 (100%) 5 votos

Alegrete tem sofrido com as constantes chuvas que castigam os mais de 4.500 km de estradas que compõem sua malha rodoviária. O que influencia diretamente na vida de seus cidadãos que necessitam trafegar por elas, seja a lazer, trabalho, saúde ou educação.

Uma das mais afetadas, e que hoje encontra-se em estado caótico, é a ERS 566, que liga Alegrete aos municípios de Itaqui e Maçambará. Caminhões atolados, carros de passeio, quase que impossibilitados de ir e vir, ambulâncias, transporte escolar e de intercâmbio estudantil, econômico e cultural que existe entre às cidades fronteiriças são alguns dos problemas que a dificuldade de transitar nessa via acarretam aos moradores dessas localidades.

Preocupado com essa grave situação que assola nosso município e, atendendo inúmeros pedidos dos munícipes, o Vereador Rudi Pinto, PDT, se mobilizou postando um vídeo nas redes sociais e conclamando as forças vivas do município a, juntos, pleitearem ao governador um investimento, urgente, nas estradas mais afetadas pelas chuvas e de responsabilidade estadual.
“Procuramos o Daer em Alegrete e falamos com o superintendente Paulo de Tarso Meister, que nos explicou que já foi solicitado o pedido de emergencialidade ao diretor geral do Daer após piora considerável das estradas com das chuvas do mês de janeiro e a Juncof (Junta de Coordenação Orçamentária e Financeira) analisou a SRO (Solicitação de Recursos Orçamentários) encaminhada pelo órgão estadual e ratificou o pedido ao governador para que elabore um Decreto de Suplementação Orçamentária, o qual autorizará a Secretaria da Fazenda a liberar o recurso no montante de R$ 23.700.000,00 (vinte e três milhões e setecentos mil reais) para a devida recuperação. Esses mais de R$ 23 milhões seriam para a recuperação das rodovias ERS 566, 176 e 241, RSC 377 e VRS-806 (estrada do Caverá)”, disse Rudi Pinto.

Segundo o parlamentar alegretense, ele também está fazendo um documento que contará com o apoio de outros vereadores e da Associação dos Arrozeiros de Alegrete, que será enviado aos representantes políticos da região, Deputado Afonso Motta e Luiz Carlos Heinze com um pedido formal para que articulem, junto ao governador Eduardo Leite, a liberação à Secretaria da Fazenda deste investimento, com urgência.

Já para a presidente da Associação dos Arrozeiros de Alegrete, Fátima Marchezan, “essa via (ERS 566) é de escoamento de grãos e de parte pecuária que juntas contribuem com cerca de 65% do PIB do município e a má conservação da estrada está colaborando, fortemente, para o êxodo rural, já que os trabalhadores que exercem suas funções nos longínquos rincões do Alegrete, muitas vezes, sofrem acidentes e levam até três horas, para chegar ao hospital. Afinal, Alegrete é responsável pela maior malha rodoviária do RS com mais de 4.700 km de estradas vicinais, além de contar com cerca 7.700 km2 de extensão. Então, muito mais que econômica, é uma questão social a solução desse pleito”, finaliza.

Fechar Menu