Federarroz entrega Carta dos Arrozeiros para Tarso Genro

25/09/2014 Off Por Fatima Marchezan

Candidato à reeleição, governador gaúcho ratificou a prioridade

da orizicultura em sua pauta para o agronegócio

 

O governador e candidato à reeleição Tarso Genro (PT) recebeu, na manhã desta quarta-feira (24/9), aos representantes da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), em Porto Alegre. Na oportunidade, foi entregue ao candidato a Carta dos Arrozeiros com demandas prioritárias do setor. A comitiva formada pelo diretor-executivo da Federarroz, Anderson Ricardo Levandowski Belloli, os vice-presidentes Daire Paiva Coutinho e José Carlos Gross e o presidente em exercício da Associação de Arrozeiros de Tapes (RS), Luiz Carlos Chemale, encontrou com Tarso Genro no seu comitê de campanha. O governador estava acompanhado do presidente do Instituto Rio Grandense do Arroz, Cláudio Pereira, e do coordenador da Câmara Setorial Estadual do Arroz, César Marques.

 

Segundo os produtores, Tarso Genro foi receptivo e lembrou seu papel de interlocutor dos arrozeiros com o governo federal em 2011, em plena crise de preços, quando houve aporte de recursos da União para resgatar o cereal. E afirmou que muitas ações foram adotadas pelo seu governo a partir do diálogo estabelecido com a cadeia produtiva, que o pautou em algumas oportunidades, como no caso da criação de um mecanismo de competitividade do arroz gaúcho, por meio do crédito presumido do ICMS, investimentos no terminal da CESA em Rio Grande e do estudo para a competitividade da exportação gaúcha.

 

“O governador se comprometeu a, uma vez reeleito, manter o arroz prioritário na pauta do agronegócio e consolidar a nova e ampla estrutura de armazenagem e embarque de arroz em Rio Grande”, disse Cláudio Pereira. Ele enfatiza entre os avanços setoriais a realização do primeiro concurso público do Irga em 38 anos, regularizando a situação dos servidores e fortalecendo a instituição. “Além do suporte tecnológico ao arroz, investimos no desenvolvimento das culturas alternativas em várzeas, como a soja, fundamental para a estabilidade do mercado”, assegura Pereira.

 

Daire Coutinho, vice-presidente da Federarroz, considerou o encontro positivo. “Tivemos a oportunidade de apresentar pontualmente nossas prioridades e receber garantias do candidato de que, se eleito, manterá a pauta arrozeira entre suas linhas de ação prioritárias”, afirma.

 

                CARTA    – A Carta dos Arrozeiros resume as demandas setoriais e tem por objetivo pontuar propostas estruturantes à atividade, na medida em que a concretização destas deve potencializar a sustentabilidade do segmento orizícola, o que refletirá na maximização de riqueza regional, geração de renda e empregos, recolhimento de tributos, reduzindo as desigualdades regionais no RS. Entre os pedidos estão investimentos em infraestrutura de transporte e logística para exportação, mecanismos de suporte à comercialização interna e externa, investimento em pesquisas e participação dos produtores nos processos e decisões do Irga.

 

A Federarroz também defende a criação de um Fundo do Arroz, para apoiar iniciativas da cadeia produtiva, continuidade ao trabalho do Grupo de Trabalho do Terminal Arrozeiro, com os investimentos necessários à infraestrutura da Companhia Estadual de Silos e Armazéns (CESA) no Porto de Rio Grande, e uma parceria público-privada que permita a instalação de um Ship-loader, para carregamento mais rápido, em maior volume e também de arroz ensacado. Por fim, solicita que seja mantida a política de desoneração tributária pela competitividade da cadeia produtiva gaúcha, além de um posicionamento firme do Estado em relação à guerra fiscal, bem como a criação de um sistema de estímulo à exportação por desoneração fiscal. A carta foi entregue aos quatro candidatos que lideram as pesquisas ao Governo do Estado.