Reunião sobre a Casa do Alegrete – 41ª Expointer
2 de julho de 2018
Presidente da Associação dos Arrozeiros de Alegrete, Fátima Marchezan participa do 15º Agrimark Brasil – Seminário Brasileiro de Marketing no Agronegócios
2 de julho de 2018

Paga Pedra Safra 2017-2018

Os efeitos das mudanças climáticas aumentaram a preocupação dos arrozeiros quanto às perdas na lavoura. Com maior frequência, chuvas de granizo colocam em risco o rendimento causando grandes prejuízos. Para amenizar as perdas, um grupo de produtores criou um fundo particular mútuo e delegou à Associação dos Arrozeiros de Alegrete o gerenciamento do Programa de Proteção Contra Perdas por Granizo, denominando-o Paga Pedra.

Aberto a todos os arrozeiros de Alegrete associados à entidade, o Paga Pedra prevê o pagamento de uma taxa de adesão para as despesas administrativas e a caução em produto para formação do fundo.

Coroada de amplo sucesso, na safra 2017-2018 foram cobertos pelo Paga Pedra 22.046, 84 hectares pertencentes a 66 produtores com lavouras em Alegrete, Quarai, Uruguaiana e Manoel Viana.

Por perdas devido à queda de granizo foram indenizados 10 produtores, que receberam o montante de R$ 204.071,85 referente a 703,09 ha de área atingida.

Para o Gestor do Paga Pedra, Fernando Lopa, o Programa é um exemplo de ação associativa de classe, que mostra a capacidade de, em conjunto, amenizar um pouco dos problemas que os arrozeiros enfrentam para produzir. “Desde sua criação, há 10 anos, nunca tínhamos tido um número tão grande de ocorrências e logo quando estamos enfrentando uma enorme crise no setor, mesmo assim, todos os participantes contribuíram com o rateio e estamos pagando o auxílio aos sinistrados. Um alento para quem foi atingido e uma prova de solidariedade da classe arrozeira”, enfatiza Lopa.

Agradecemos a confiança de todos os produtores que participaram de mais esta edição do Programa Paga Pedra.

2