Confraternização e Final de Ano da Associação dos Arrozeiros
3 de dezembro de 2017
Festinha na EMEI Ibirapuitã
3 de dezembro de 2017

Reunião com Produtores

Realizou-se segunda-feira (27) às 20h no Casarão do Parque de Exposições, uma reunião regional de produtores de arroz a convite da Associação dos Arrozeiros de Alegrete. Nosso foco era debater regionalmente algumas questões desfavoráveis do Mercosul e outros assuntos de interesse do setor.

Se fizeram presentes lideranças locais e regionais. Presidente da Federarroz – Henrique Dorneles, Raul Borges – Presidente da Associação dos arrozeiros de Itaqui e Maçambará, representantes de produtores de Dom Pedrito, Uruguaiana e Quaraí, Diretoria e Panela Campeira da Associação dos Arrozeiros de Alegrete, agroindústria (1), arrendatários parceiros, principais mídias e imprensa local em peso no evento!
O presidente da Federarroz fez um resumo da Audiência Pública ocorrida em Brasília e discutiu alguns pontos do diagnóstico do setor, apresentando alguns números preocupantes referentes aos custos de produção levantados pela Farsul.
Nossa entidade apresentou a proposta de uma Ação Civil Pública denunciando a concorrência desleal e nefasta para o setor orizícola. A medida foi apoiada por unanimidade e as Associações presentes se mostraram favoráveis em prosseguir em conjunto. Será buscada a assessoria jurídica para montar o instrumento legal e convocada uma assembleia de produtores para aprovação ou não do prosseguimento do processo.
Outro tema debatido foi o posicionamento dos produtores em relação ao Funrural, os quais mostraram-se contrários à MP 793.

O terceiro ponto foi relacionado ao endividamento. Sobre esse assunto, ficou acertado que a Federarroz vai auxiliar os produtores na busca de uma linha direta para negociações caso a caso com o setor bancário. Foi levantada a possibilidade de solicitação de uma nova securitização, por considerarem que é a única saída para o endividamento ao qual irá se somar o Funrural e que inviabilizará ainda mais a lavoura arrozeira, afetando drasticamente a economia dos municípios e estado.

Por fim, extremamente insatisfeitos com atual conjuntura, os produtores e entidades presentes decidiram por um movimento reivindicatório inicialmente estadual. Acertou-se que até o dia 20 de dezembro as entidades que decidirem aderir à mobilização conjunta do setor, devem consultar seus associados para unir forças ao movimento. Será montada uma carta padrão para as entidades enviarem ao governo do estado solicitando a audiência com o governador.
Os produtores decidiram dar um basta à inércia e ir ao Executivo Estadual para expor a gravidade da situação e seus reflexos para a economia do Estado. Foi destacado pelos produtores que as bases precisam contar com o apoio de seus prefeitos(as) e demais representantes políticos, os quais são partícipes na responsabilidade de manter a saúde econômica e social dos municípios e do Estado.

Muito obrigada a todos que saíram da sua zona de conforto para lutar não apenas pelo seu negócio, mas pela sobrevivência da nossa classe orizícola.

Sem palavras para agradecer a presença e o apoio dos parceiros que vieram de longe, percorrendo muitos km de estrada e à noite.

Obrigada a imprensa local pelo maravilhoso apoio a essa classe de trabalhadores rurais que contribui silenciosamente para a economia dos municípios e Estado e que, não raras vezes, é atacada e difamada e com poucas vozes que se levantam para defendê-la. Esperemos que nossos governantes e representantes políticos sigam o exemplo de vocês.
Fátima Marchezan – Presidente da Associação dos Arrozeiros de Alegrete.

9

10